Fromago, a maior feira urbana de queijos do mundo, transforma Zamora numa montra internacional de queijos

O presidente da Diputación Foral, Francisco Requejo, destacou a presença de mais de 1.200 queijos de todo o mundo e agradeceu a união de todos os sectores, empresas, entidades e instituições para tornar esta feira internacional uma realidade.

O Parador Nacional acolhe a primeira das provas do Festival Queijo-Pún, com tapas dos melhores chefes da província elaboradas com produtos de Alimentos de Zamora e acompanhadas por vinhos das D.O. Toro, Arribes, Tierra del Vino e Valles de Benavente.

Requejo destaca a união de todos os sectores, entidades e instituições e o envolvimento de toda a equipa técnica e do município para tornar a feira uma realidade.

O presidente da Diputación Foral, Francisco Requejo, inaugurou a Feira Internacional do Queijo de Fromago, o grande projeto agroalimentar promovido pela instituição provincial com a colaboração de numerosas entidades e empresas da província, da Câmara Municipal de Zamora, da Junta de Castilla y León e da Caja Rural.

A maior feira urbana do mundo

Numa marquise repleta de representantes institucionais, autoridades civis e militares, representantes de diferentes marchas de qualidade de Castela e Leão, produtores, associações pecuárias e cooperativas, Francisco Requejo afirmou que o lançamento de Fromago é “um dos dias mais bonitos da minha carreira, fruto da união, do trabalho e do entusiasmo de toda uma província num projeto”.

O presidente do Conselho Provincial indicou que Fromago é o maior feira de espaços urbanos do mundoO passeio de 2,5 quilómetros pela cidade, e destacou a mais de 1.200 queijos de todo o mundo ou as suas experiências culinárias únicas, bem como a apresentação de vários produtos, o concurso Fromeliers e a atribuição do prémio Prémios Cincho, uma das mais prestigiadas do país.

Requejo recordou que Fromago era apenas um projeto de Zamora10 que decidiram tornar realidade e agradeceu a todas as instituições e entidades, bem como à equipa e à população de Zamora pela sua colaboração e envolvimento. O Presidente referiu-se ao “centenas de quilómetros percorridos com deputados da Agricultura e do Desenvolvimento Económico para a promoção da feira” e destacou o trabalho dos técnicos do Diputación, Junta de Castilla y León, Câmara Municipal, Caja Rural, Escuela de Industrias Lácteas, Ifeza, Fundos, Cobadú, Gaza, Câmara de Comércio, Azeco e Azehos. Sublinhou a união entre todos os sectores para tornar esta feira uma realidade, um desafio assumido “com absoluto profissionalismo”.

Recordou que os empresários do sector “há muito tempo que colocam o produto e a qualidade. Temos 34 queijarias das 208 existentes em Castilla y León. Somos a província líder na criação de ovinos e a transformação e comercialização do produto tem capacidade para criar emprego, sem esquecer que a DO Queijo Zamorano foi a primeira de Castela e Leão”.

As suas últimas palavras foram para o terrível incêndio na Sierra de la Culebra e para os tempos difíceis que se viviam na região. “Sabemos que toda a ajuda que pode ser prestada será sempre pouca, mas Fromago também o quer fazer. Temos uma província cheia de oportunidades, precisamos de fixar a população, reter os jovens talentos e ajudar os empresários”.

Relativamente às grandes expectativas geradas pela feira, Requejo terminou dizendo que“todos ganhámos, porque colocámos Zamora na ribalta internacionaldo queijo, que se identifica com o queijo. Zamora é atualmente o epicentro mundial do queijo. Não somos mais do que ninguém, mas também não somos menos do que ninguém”.

Mercados internacionais

O veterano jornalista Javier Pérez Andrés, mestre de cerimónias, recordou que “Zamora era queijo, ovelha, leite, era muitas coisas. Ficava zangado por Zamora não saber a queijo, apesar de ser a primeira DO”.

“Fromago não é apenas mais uma feira, porque conseguiu envolver associações agrícolas, grandes cooperativas, os queijeiros mais importantes desta província, ou a presença transfronteiriça com delegações de Castelo Branco, Bragança e Miranda. Vejo presidentes de câmara de toda a província, gastronomia de qualidade de Castela e Leão, organizações, hoteleiros… Vejo toda a gente”. Como o Presidente Requejo já referiu, esta união é a chave para avançar com os grandes projectos. Pérez Andrés faltou à tomada de posse do presidente da Junta de Castilla y León e do seu ministro da Agricultura, embora estivesse presente o vice-ministro “que representa muito bem a Junta”.

O grande jornalista concluiu apoiando este modelo: “Estes projectos são o que temos de fazer para que esta terra não desapareça: transformar as suas excelentes matérias-primas e sair para os mercados nacionais e internacionais”.

Festival do Queijo-Pún

O Festival do Queijo-Pún também arrancou esta manhã com os seus ateliers infantis e a primeira das provas no Parador de Zamora, que serviu para culminar o evento inaugural e para promover os produtos de qualidade apoiados pelos Alimentos de Zamora.

Os cozinheiros Gloria Martín, Mónica Fernández Cifuentes, José Antonio Gonzalez, Adrián Asensio e Carlos Onrrubias criaram um menu espetacular com produtos com este selo de qualidade e da terra, tais como vitela de Aliste, chouriço de Zamorano, grão de bico de Fuentesaúco, boletos, borrego IGP, ovas de veado, pimentos de Benavente ou farinha tradicional de Zamorano, acompanhados por diferentes vinhos da região. D.O. Toro, D.O. Arribes, D.O. Tierra del Vino e DOP Valles de Benavente.

Além disso, tiveram início no Parque San Martín actividades gastronómicas e de promoção do cordeiro em aleitamento, enquanto a Aula de Folclore La Morana animou as ruas com danças tradicionais da província de Zamora.

Subscrever a nossa newsletter

Bem-vindo ao nosso Centro de Subscrição de Newsletter. Inscreva-se no seguinte formulário para receber as últimas notícias e actualizações da nossa empresa.

× Como posso te ajudar?